JUSÉE

SERRA TALHADA - PE

 

VIAGENS AO EXTERIOR PARA PESQUISA CULTURAL - DIDÁTICA

 

1996 - Pesquisa no Museu de Cairo e Alexandria, visita aos sítios arqueológicos das seguintes cidades do Egito: Cairo, Saccara, Mênfis, Edfu, Esna, Luxor, Assuãn, Abul Simbel.
Obs.: (Foi gravado in loco, vídeos e fotografias para fins de riqueza cultural).
1997 - Pesquisa no Museu da Índia, das cidades: Bangalore, Bambay, Nova Dhely, e viagem pelo norte da Índia.
Obs.: (Foi gravado in loco, vídeos e fotografias para fins de riqueza cultural).
- Viagem pela Europa, visitando sítios arqueológicos e museus das seguintes cidades 
    - Alemanha: Berlim e Amsterdã ( visitas a museus e galerias )
    - Portugal: Lisboa e Coimbra ( visitas a museus e galerias )
    - Espanha: Madri, Compostella, Barcelona, Tordezilhes ( visitas a museus, galerias e arquitetura  ).
    - Inglaterra: Londres (Pesquisa no Museu de História Natural)
    - Austria.
    - Viagem a América do Norte - Miami (visita a museus e galerias da cultura americana).
1998 - Retorna a Índia, Nepal e Tibet, pesquisando museus e a cultura popular de cada país. 
- Visita as cidades de: Agra, Benares, Varanasi, Calcultá.
- Viagem a Europa (Paris), visitando o museu do Louvre, onde pesquisa o acervo da história antiga e medieval.
1999 - Viagem a Índia, Nepal e Tibet, pesquisando museus e a cultura popular de cada país.
- Viajem a Europa (Paris), visitando o museu do Louvre, D´osey, Rodin e de história natural. Gravou na ocasião vídeo sobre a Paris Medieval.
2000 - Viagem a Índia, visitando cidades do norte. Pesquisando a religião e cultura popular.
- Viagem a Paris, Avignon (pesquisa do Cristianismo Medieval), Lion, Bretanha, Vale do Loire, Nice e Saint-Tropez.
2001 - Viagem a Índia visitando o sul do país, incluindo a ilha de Sri Lanka.
- Viagem a Paris visitando museus e galerias de arte de artistas do Expressionismo, Cubismo, Futurismo, Dadaísmo, Surrealismo, Arte Abstrata, Arte Pop, Arte Pre-Histórica, Arte Mesopotâmica, Arte Egípcia, Arte Grega, Arte Romana, Arte Chinesa e Japonesa, Arte Africana, Pré Colombiana, (Maia, Asteca, Inca), Arte Oceânica, Arte do Renascimento, Arte do Maneirismo.
        - Pintores e Escultores do Romantismo, Impressionismo e Modernismo
        - Artistas do Barroco, Rococó, Neoclássico.
        - Arte Românica e Arte Gótica.
        - Arte Bárbara, Bizantina e Islâmica.
- Viagem Versailles, pesquisando o palco de Versailles, o museu e galerias da cidade.
- Viagem a Roma, visitando o sítio histórico da cidade antiga e os museus e galerias de Roma.
- Viagem a Nápoles, no sul da Itália, visitando museus e galerias.
- Visita as ruínas da cidade de Pompéia.
- Visita a museus e galerias da cidade de Sorrento.
- Visita a museus, galerias e sítios arqueológicos da Atenas e do Peloponeso.
2002 - Visita Milão (Galerias, Museus e Arquitetura).
- Visita Turim (Galerias, Museus e Arquitetura).
- Visita Paris (Galerias, Museus e Arquitetura).
- Visita Roma (Galerias, Museus e Arquitetura) Domus Áurea, O Palácio de Nero.
2003 - Visita a:
- Índia. 
- Atenas: Sítios Arqueológicos de Corinto, Micenas, Tirintos e Epidauros.
2004 - Visita a India e Paris
2005 - Visita a India e Paris

FRANCE MON AMOUR

Escritores da França 
 
    Entrando nas livrarias francesas, deparou-se com um acervo de bons livros e de bons autores que se imortalizam dentro da literatura. Para quem não sabe escritores intelectuais tradicionalmente desfrutam de prestígio na França. O inverso do Brasil onde a literatura não tem o valor como deveria ter. Na França uma das mais conceituadas instituições é a Academie Française, cujos 40 membros, a maioria escritores, pronunciam-se sobre os acontecimentos nacionais e, eventualmente, ocupam cargos políticos. A obra de muitos romancistas franceses tem profundas raízes em suas regiões de origem, da Normandia de Gustave Flaubert à Provença de Jean Giono. Além de seu mérito literário, os romances proporcionam um guia singular para conhecer as identidades regionais.
No romance destaca-se Marcel Proust, autor de "Em busca do tempo perdido", vale a pena conferir, muito bom; no teatro destaca-se entre outros Molière, dramaturgo do século XVII; na poesia o mais importante entre os primeiros poetas franceses foi Ronzard, que escreveu sonetos sobre a natureza e o amor no século XVI.
Arquitetura Romântica e Gótica na França
 
    Sem dúvida nenhuma a Arquitetura Medieval francesa é espetacular em todos os sentidos, adentrando os  monumentos faz-se jus a tudo isso. A França é rica em arquitetura medieval e conserva desde pequenas igrejas romântica, até grandes catedrais góticas. A medida que o país mergiu da Idade-Medida, no século XI, houve uma onda de construções românticas, baseadas no modelo romano de paredes grossas, arcos arredondados e abóbadas. Os franceses melhoraram esta estrutura básica, propicionando o surgimento do gótico no século XIII. Arcos em forma de ogiva e arcobotantes foram invenções que permitiram construir edifícios mais altos, com janelas maiores.
Dicas: chegando a França visite estes estilos arquitetônicos, vamos lá?
Os monumentos de arquitetura romântica, nomes e cidade:
 
1  - St-Etienne, Caen
2  - Mont-St-Michel
3  - St-Pierre, Angoulême
4  - Notre-Dame, Le Puy
5  - St- Pierre, Moissac
6  - St-Senin, Toulouse
7  - Ste-Foy, Conques
8  - Sacré-Coeur, Paray-le-Manial
9  - St-Philibert, Tournus
10 -St-Etienne, Nevers
11 -Ste-Madeleine, Vèzalay
12 -Marmoutier, Saverne
Os Monumentos góticos, nomes e cidades onde estão localizados:
1  - Notre-Dame, Strasbourg
2  - Notre-Dame, Reins
3  - Notre-Dame, Laon
4  - Notre-Dame, Amiens
5  - St-Pierre, Beauvais
6  - St-Denis, Lie-de-France
7  - Sainte-Chapelle, Paris
8  - Notre-Dame, Paris
9  - Notre-Dames, Chartres
10 -St-Etienne, Bourges]

ARQUITETURA RURAL.

Passear pela região rural da França é realmente paradisíaco, as paisagens são realmente de uma beleza sem iqual, das vezes que estive lá desfrutei de lugares bucólicos de rara beleza, vi que as casas rurais da França são construídas com pedras, barro ou madeira, dependendo da disponibilidade de materiais em cada região.

                      Notei que Arquitetura se modifica com a topografia, encontrando-se desde os telhados acentuadamente inclinados, cobertos com telhas planas, no norte, até telhados largos, cobertos com telhas em forma de canaletas, típicos do sul. Há três categorias básicas de casas francesas no campo: a maison bloc - em que a casa e anexos compartilham o mesmo teto -, a casa alta - com aposentos no andar de cima e estábulos ou adegas no térreo - e a organizada em volta do pátio. vale a pena conferir um passeio pela a Franca rural.
 
FRANÇA MÊS A MÊS.
 
                             Os franceses, com suas raízes no campo, são muito atentos a mudanças das estações, e o clima ameno permite que eles festeje ao ar livre durante a maior parte do ano.
                              A história e as tradições são celebradas em fêtes, como a do Dia da Bastilha ( 14 de julho ).Há também muitos festivais de arte, do enorme Festival de Teatro de Avignon até os pequenos eventos nas vilas. Grandes acontecimentos esportivos nacionais, como como a corrida ciclista Tour de France, são importantes no calendário.
                              Ao longo do ano, festivais celebram a comida e o vinho. No verão, as cidades ficam vazias e os franceses e visitantes vão para as praias e para o campo.

A - PRIMAVERA

                         A vida ao ar livre na França recomeça na primavera e os cafés com mesas nas calçadas ficam cheios quando faz sol. A Páscoa é época de procissões católicas e música sacra. O festival de Cinema de Cannes ( maio ) é o mais conhecido evento da temporada de convenções e feiras.

B - VERÃO

                   A  temporada francesa de férias começa em meados de julho e a volta ao trabalho e às aulas ocorre no início de setembro. Praias, marinas e campings ficam lotados. Cada vila tem sua fête e também ocorrem inúmeros festivais e eventos esportivos.

C - OUTONO

                    Nas regiões vinícolas, a colheita da uva é época de alegria comunitária e em todas as vilas produtoras há festivais de vinho. em novembro, quando o novo vinho fica pronto, ocorrem novas festas. A temporada de caça ao cervo se inicia. No sudoeste, pequenas aves migratórias são aprisionadas em redes, o que provoca a ira dos ecologistas.

D - INVERNO

                     No natal têm lugar nas igrejas representações sobre a Natividade, e feiras e mercados ocorrem m toda a França. As pistas de esqui ficam lotadas nos Alpes e nos Pireneus, e até nos Vosges e no Maciço Central. Antes da Quaresma, em Flandres e, em Nice, acontecem carnavais.

A História da França.

 
                Único país europeu banhado tanto pelo Mar do Norte quanto pelo o Mediterrâneo, a França sofreu influências variadas. Embora famoso pelo apego às raízes característico de sua população rural, o país tem sido caldeirão de culturas, desde antes da chegada dos Celtas gauleses, séculos antes de Cristo, até as imigrações mediterrânea, do século 20.
                 A conquista romana comandada por Júlio César teve um impacto duradouro. Entre os séculos  IV e V a. C., entretanto, as invasões bárbaras destruíram muito do legado romano. Os franco-germânicos exerceram a liderança política nos séculos seguintes, mas quando sua linhagem desapareceu, no fim do século X, a França era um país social e politicamente fragmentado.

França Pré-Histórica

 
                       Os mais antigos vestígios de vida humana na França datam de cerca de 2 milhões de anos a.C., cerca de 40 mil anos a.C., Homo sapiens nômades ali viviam como caçadores. Em 6000 a. C aproximadamente, após o fim da Idade do Gelo, essas populações se fixaram para criar animais e cultivar. Com o trabalho em metal, instrumentos e armas mais eficientes foram desenvolvidas.
                         A Idade do Ferro está relacionada particularmente aos Celtas que chegaram do leste durante o primeiro milênio a.C., Surgiu uma hierarquia social mais complexa, com guerreiros, fazendeiros, artesões e druidas ( sacerdotes celtas ).

A Gália Romana

 
                        Os romanos anexaram a porção sul da França em cerca de 125-121 a.C..Júlio César dominou o restante da Gália nas Guerras Gálicas ( 58-51 a.C ). A província prosperou. Foram desenvolvidos bons sistemas de comunicação e uma malha de cidades repletas de edifício públicos e instalação para o lazer, como, fundaram-se vilas. Por volta do século III d.C., ataques bárbaros da Alemanha já causaram danos cada vez maiores. A partir do século V esses povos começaram a se fixar por toda a Gália.

O Domínio Monástico..

 
                         Pesquisar a França do passado, é realmente fantástico, principalmente quando se ama ela, entrei várias vezes no Louvre, e constatei tudo isso, acessando as alas onde a França é desnuda em toda a sua plenitude do passado, na minha pesquisa no assunto do Domínio Monástico, observei que ao colapso do Império Romano seguiu-se um período de instabilidade e invasões. As dinastias francas dos merovíngios (486-751) e dos carolíngios (751-987) foram incapazes de promover mais do que esporádicos períodos de tranqüilidade política. A igreja proporcionou, ao longo desta época turbulenta, um elemento de continuidade.Os mosteiros - centros para estudiosos e artistas cristãos - ajudaram para recuperar os valores do mundo antigo. Desenvolveram o cultivo da terra e a vinicultura. Alguns foram poderosos, dominando o país econômica e espiritualmente.                

A França Gótica.

 
                        A Arquitetura gótica é realmente maravilhosa, o estilo gótico das catedrais que se erguem em direção aos céus, surgiu no século 12, época de crescente prosperidade e conhecimento, das cruzadas e de monarquias dominadoras. As cortes francesa e da Borgonha rivais, tornaram-se modelo de moda e etiqueta. Chansons de gestes ( poemas épicos ) exaltavam os cavaleiros.

A Guerra dos Cem Anos.

 
                         A Guerra dos Cem Anos (1337-1453), na qual Inglaterra e França se enfrentaram pelo controle de território francês, teve efeitos devastadores. Os danos provocados pelos combates foram agravados pela fome e pela peste bubônica, que precedeu a Peste Negra de 1348. A França esteve perto de ser definitivamente dividida entre o rei da Inglaterra e o duque da Borgonha.
                         Em 1429-30, a jovem Joana d'Arc ajudou a reorganizar as forças da França e os ingleses foram expulsos no período de uma geração

A França do Renascimento.

 
                                     Como resultado da invasão francesa da Itália em 1494, os ideais e a estética da Renascença italiana se prosperaram pela França, atingindo o apogeu durante o reinado de Francisco I. Verdadeiro príncipe renascentista, ele foi educado para as letras e artes, bem como para os esportes e a guerra. Artistas italianos como Leonardo da Vinci e Cellini foram convidados para sua corte, onde ele desfrutava as historias obscenas de Rabelais. Outra italiana influente foi Catarina de Médici ( 1519-89), viúva de Henrique II, Catarina foi a verdadeira governante da França por meio de seus filhos Francisco II, Carlos IX e Henrique III.

O Grand Siècle.

 
                                O fim das guerras religiosas iniciou um período de grande influência e poder da França. Os ministros cardeais Richelieu e Mazarin tornaram possível a monarquia absoluta de Luis XIV. Paralelamente, desenvolveram-se estilos artísticos de sofisticação sem precedentes: enormes edifícios barrocos, o drama de Molière e Racine, e a música de Lully.  Versalhes, construído sob a supervisão do ministro das finanças Colbert, tornou-se a gloria da Europa. Mas, o custo da obra e as guerras de Luis XIV foram onerosos. Ao fim do reinado, a miséria havia se disseminada pela França.

O Iluminismo e Revolução

 No século 18, filósofos iluministas como Voltaire e Rousseau redefiniram o lugar do homem dentro de uma estrutura de princípios naturais, desafiando a antiga ordem aristocrática. Seus ensaios foram lidos por toda a Europa e nas colônias norte-americanas.Embora a França exportasse tanto produtos quantos idéias, as dívidas  do Estado, cada vez maiores, geraram desordem social e deram início à Revolução de 1789. Sob o lema “ Liberdade, Igualdade, Fraternidade “, a nova República teve grande impacto no restante da Europa.

                                     Nas minhas visitas ao Louvre, observei com muita atenção as obras desses mestres, como também muitas coisas que esse grandioso museu guarda sobre  o Iluminismo e as Revoluções, entre elas a mais famosa a “Revolução Francesa”.

 A França de Napoleão

 Visitando o túmulo de Napoleão no Panteão, aquele edifício que fica próximo a Sorbonne, no famoso bairro intelectual de Paris o Quartier Latim, essa visita me deixou completamente curioso para conhecer melhor Napoleão e outros mestres que  se encontram também sepultados no mesmo célebre edifício. No Louvre observei que duas gerações de Napoleões dominaram a França de 1800 a 1870. Napoleão Bonaparte assumiu o título de imperador Napoleão I. Estendeu seus domínios pela maior parte da Europa ocidental, colocando seus irmãos e irmãs nos tronos do país conquistados. Derrotado em 1814 e substituído pela dinastia Bourbon, à qual seguiu  a Revolução de 1830 e a chamada Monarquia de julho,  o clã napoleônico voltou ao poder em 1848.

                                                          O  sobrinho de Napoleão I, Luiz Napoleão, tornou-se presidente  da Segunda República e depois auto-proclamou-se imperador como Napoleão III. Durante seu reinado, Paris foi modernizada e iniciou-se a transformação industrial na França.

 A Belle Époque

 As décadas que antecederam a Primeira Guerra Mundial foram a Belle Époque dos franceses. Mas foram também um período de turbulência política com militância da classe trabalhadora, os movimentos socialistas e o caso Dreyfus polarizando o país entre a esquerda e a direita anti-semita.

  Invensões como a eletricidade e a vacinação contra doenças tornarem  a vida mais fácil em todos os níveis sociais. A vida cultural fervilhava, assumindo novas formas com  o impressionismo e a art nouveau, os romances realistas de Gustave Flabert e Emile Zola, o cabaré e o cancan, e o nascimento do cinema em 1895.

 Observei que Paris tem muitos monumentos desse período o Museu d’Orsay, a Opéra Garnier e  a entrada do metrô parisiense da Art Nouveau.

 Paris e Ile de France

 Fica completamente difícil falar sobre a Cidade Luz na íntegra, são muitas coisa mesmo a falar, uma cidade muito glamurosa em vários aspectos, a capital francesa é rica em museus, galerias de arte e monumentos. O Louvre, a Torre Eiffel e o Centre Pompidou estão entre os pontos de interesse mais famosos. Circundando Paris, a Ile de France se estende por 12.000km de bairros e cidades-dormitorios pontilhados de castelos, sendo Versalhes o mais conhecido.Mais adiante, as concentrações urbanas dão lugar a terras agrícolas, florestas e no magnífico palácio de Fontainebleau.

Château de Versailles

 Seria impossível ir a França e não adentrar esse magnífico palácio, nos arredores de Paris, tive a oportunidade de entrar em Vesrsailles todas as cinco vezes que estive em Paris. O palácio atual, iniciado por Luis XIV em 1668 surgiu de uma serie de acrescemos ao redor do pavilhão de caça de Luis XIII, o arquiteto Lê Vau construiu a rimeira parte que se estendeu ao redor de um pátio aumentando, Jules Hardouin-Mansart prosseguiu em 1678 acrescentado o Salão dos Espelhos, que é realmente uma obra prima, ao entrar nessa sala fui transportado historicamente ao período do auge de versailles, uma maravilha! Entrei na capela, na ópera, e nos suntuosos s principais do primeiro andar do enorme conjunto que forma o palácio,

            Seria difícil falar na integra de Versailles, um passeio inesquecível, a quem vai a Paris.

Cimetère du Père Lahaise

Também entrei nesse cemitério todas as cinco vezes que estive em Paris, é o maior de prestígio de Paris, situado sobre uma colina arborizada com vista para a cidade. O terreno foi propriedade de Père de La chaise, confessor de Luis XIV, mas, foi comprado por ordem de Napoleão em 1803 para criar um cemitério totalmente novo.

       Este passou a ser procurado pela burguesia parisiense que os seus limites foram estendidos seis vezes durante o século 19.

  Tive a oportunidade de visitar os túmulos de gente famosa como: Honoré de Balzac, o compositor Chopin, Jim Morrison, dos atores Simone signoret e Yves Montant, também de Marcel Proust Allan Kardec, Sarah Bernhardt, Theodore Gérricault, François Raspail, Elizabeth Demodoff, Jean_françois Champollion, Moliére, Victor Noir, Oscar Wilder, e me emocionei demais diante da célebre cantora da França do qual sou um fã: EDITH PIAF.

      Enfim, pura aula de História, visitar o célebre Cimetière du Père Lachaise em Paris.

 Moda em Paris

 Moda é cultura, que digam os Franceses, Paris é o centro da Haute-couture todas as vezes que estive em Paris, tinha por obrigação entrar só pra ver o charme e a elegância da Haute-couture, entrei em 23 Maison inscritas na Féderation Française de la couture: entre elas vi: Claude Montana, Karl Lagerfeld da Chanel, Dior, Nina Ricce, Yves Saint-Laurent, Giorgio Armani, Kenzo, Comme des Garçons, Cartier, Christian Lacroix, Jean-Paul Gautier (conversei com esse gênio da Haute_Couture), Versarse, Pierre Gardin e finalmente na Maison Laivan, cuja qual Ocimar Versolato foi já estilista da Lavin.

             Valeu a pena ver tudo isso, realmente a moda é cultura.

 Brigitte Bardot

  Sou fã de Brigitte desde pequeno, Madame Bardot, como quer ser chamada atualmente, não faz mais cinema, cuida de sua fundação para proteger os animais do mundo todo, visitei também, odas às vezes que estive em Paris sua fundação próximo a Tour Eifel, perto de Trocadero. Na Rue Vineuse

  Fiquei emocionado em conhece-la pessoalmente, uma grande alma de pessoa, muito amável, não dar mais autógrafos, e nem se deixa fotografar, só num sentido beneficente para os animais,

  Tive a honra de ser convidado a representar sua fundação no estado de Pernambuco, recusei o pedido por ser pesada a responsabilidade de representar um mito do cinema francês como também uma causa tão árdua de proteção aos animais.

               Valeu BB.Tudo de bom na sua tão bela causa!

 France Mon Amour

   As cidades que visitei na França seria impossível de relatar.

Todas elas que vistei no país, a única do meu coração, sem dúvida nenhuma é Paris,

   Tive o prazer ficar nos bairros de Quartier Latin, Montparnase, e dessa última vez, fevereiro de 2005, me hospedar próximo a Opera de Paris...Caminhando pelas suas ruas aprendi um pouco do francês que arranho, e termino aqui dizendo: PARIS MON AMOUR, JE VOUS AIME TOUJOUR!
 

Citado no catálogo de artistas do Instituto Cultural do Bandepe On-Line

Onde você pode entrar clicando aqui!!.

Algumas fotos de suas viagens.

 

 

© Jusée Professor e Artista Plástico - Produzido por SertaoNet

Rua Dep. Afrânio Godoy, 766 - Fone: 87 3831 4484 - Serra Talhada- PE

 

Obras | Histórico | Cursos | Arte Plástica | Outras Atividades |Atelier | Casa da Cultura | E-mail | Home

PROFESSOR

VIAGENS

ARTISTA PLÁSTICO